Dia 04
Data 04.02.20
Km do dia 347
Km Acum. 1.423
Deslocamento de Turmalina para Grão Mogol.
Antes temos que responder muitas perguntas que nos fazem: Como fizemos o roteiro pela Serra do Espinhaço. Esse crédito é dos nossos Amigos Antonio Olinto e Rafaela Asprimo que fizeram vários Guias de Ciclo Turismo, como não somos ciclistas, mas aventureiros resolvemos fazer de Caminhonete, segue abaixo o link.
https://www.olinto.com.br/
Recebemos uma informação para conhecer a Comunidade de Campo de Buriti onde funciona a Associação da Artesã.
A partir daí começou a nossa saga para Chegar em Gran Mongol.
Nos deslocamos pela BR 367 até o trevo de Leme Prado, onde por terra rodaríamos 41km mais a travessia de Balsa.
Sorte que pegamos no antes de iniciar o trecho de terra, a balsa sairia só 16hs.
Fizemos uma rota alternativa que nos obrigou a rodar mais de 200 km.
Nesse desvio tivemos o privilégio de conhecer e passar pelo Usina Hidreletrica de Irapé (veja link com informações), descemos até o leito da usina, cruzamos um túnel na montanha em subida (que serve de barragem) até a parte alta.
Nessa estrada foram por volta de 50km entre Eucaliptos, e muita chuva.

Dia 05
Data 05.02.20
Km do dia 146
Km Acum. 1.569
Deslocamento de Grão Mogol para Porteirinha.
Começamos o dia dando uma volta na cidade, para conhecer a Igreja Matriz.
Retomamos o roteiro original com o objetivo de rodar 96 km até Serranópolis de Minas. Fomos serpentiando a Serra do Espinhaço com um baixo grau de dificuldade, porém muitas referencias de navegação e passagens por porteiras.
Pela dificuldade de navegação, encontrando alguém pelo caminho reconfirmávamos o roteiro. Em uma dessas abordagem, ficamos sensibilizados pelo boné aos trapos do Pai e o filho sem nada na cabeça, demos dois bonés. Ver a alegria dos dois não tem preço. Andar por esses confins é muito gratificante, pessoas simples, sempre prontas a ajudar e se viram como podem.
Chegando na Fazenda Tapera (aprox.. 30 km antes de Serranópolis) fomos convencidos pelos moradores locais a não seguir a partir desse ponto, pela precariedade da estrada. Indicações vinda de moradores locais não devem ser ignoradas e nós não abrimos mão da segurança.
Seguimos por caminhos alternativos até o encontro da BR 251, parando em Porteirinha para descansar.

Dia 06
Data 06.02.20
Km do dia 331
Km Acum. 1.900
Deslocamento de Porteirinha (MG) para Brumado (BA).
Iniciamos o dia tendo que refazer o alinhamento de direção, devido ter pego um buraco em estrada de terra coberto totalmente de água.
Demos uma volta na cidade e fomos visitar a estátua de Cristo que está no ponto mais alto da cidade.
Avaliamos o trecho de terra que fizemos X o que teriamos de fazer, devido o planejamento realizado, e data para chegar na Chapada Diamantina resolvemos seguir pelo asfalto.
O balanço dessa experiencia foi muito boa, obrigado Antonio e Rafaela por essa oportunidade

Crédito de texto e imagens para Ricardo Di Grazzia
Mais detalhes em nossas Plataformas.
Site: www.motorhomenaestrada.com.br
Instagram: #motorhomenaestrada
Face: motorhomenaestrada